• www.mesaofrio.com.pt
  • www.mesaofrio.com.pt
  • www.mesaofrio.com.pt
  • www.mesaofrio.com.pt

História

Lazer

Vitivinicultura

Gastronomia

Artesanato

Igreja Matriz de Vila Marim

  • Versão para impressãoEnviar por E-mail

A construção iniciou-se no século XVII, data que nos é transmitida pelos azulejos seiscentistas, e pelo ano de 1683 gravado no interior da capela mor A Igreja possui ainda o altar-mor em talha dourada datada do século XVIII, e, imagens em madeira das quais se destaca o Cristo Crucificado, o senhor dos Passos e o Mártir São Sebastião.

Arquitectura religiosa, barroca. Igreja de planta longitudinal composta por nave e capela-mor, mais baixa e estreita, iluminada axial e lateralmente. Fachada principal terminada em empena e rasgada por portal em arco de volta perfeita com chanfro e óculo. Fachada lateral esquerda rasgada por porta travessa e janelas   de   capialço   e   a   posterior terminada em empena. No interior possui tectos de caixotões barrocos e retábulo-mor de estilo nacional, de planta recta e um eixo.
Descrição
Igreja de planta longitudinal composta por nave única e capela-mor, mais baixa e estreita, tendo adossado à fachada lateral esquerda torre sineira quadrangular, destacada da fachada principal, uma capela lateral e sacristia rectangular. Volumes escalonados com coberturas diferenciadas em telhados de duas águas na igreja, de quatro na sacristia e de duas na capela. Fachadas rebocadas e pintadas de branco, com pilastras toscanas nos cunhais e termindas em friso e cornija sobreposta por beirada simples. Fachada principal virada a O., terminada de empena coroada por cruz latina de cantaria e rasgada por portal em arco de volta perfeita com chanfro, encimado por óculo circular moldurado. Torre sineira de três registos separados por cornija, possuindo no primeiro passagem para a sacristia, por vão em arco de volta perfeita, encimado por cartela com a data relevada 1932; e no último, em cada uma das faces, vão em arco de volta perfeita, albergando sino; remate em cornija e balaustrada, com plintos nos cunhais coroados por pináculos esguios e tendo na face S. relógio; cobertura piramidal facetada, rematada por bola e catavento em ferro. A fachada lateral S. apresenta a nave percorrida por friso ao nível do pavimento interior, e é rasgada por porta travessa de verga recta e quatro janelas, duas de capialço, uma outra mais larga e a do topo da nave mais pequena; a janela mais larga é ladeada por lápide inscrita com a data 1910; na capela-mor abre-se uma janela de capialço, uma fresta e uma outra jacente. Fachada posterior da capela-mor cega e terminada em empena e a da sacristia, terminada em empena recta e rasgada por porta no primeiro piso e janela noo segundo. INTERIOR de espaço interior bastante rico, apresenta diversos altares colaterais em talha dourada sendo o da capela-mor. A capela lateral relaciona-se para a nave através de um arco pleno, com uma inscrição encimada por um brasão pintado. Esta inscrição com a data de 1683 deixa ler "Esta Confraria das Almas está obrigada a quatro Missas cada ano". Tecto da nave decorada com caixotões pintados e com talha dourada. Na capela-mor amplo retábulo de talha dourada com trono central e tecto de perfil curvo em caixotões com molduras de talha.
Acessos
Lugar de Vila Marim, EM 601 GPS: N41ᵒ10,768” – W7ᵒ51,801”
Grau
3

 


Enquadramento
Urbano, isolado, de gaveto. A Igreja implanta-se num pequena plataforma elevada relativamente à estrada. No prolongamento da fachada lateral, insere-se o adro fechado por um muro engradado na esquina das ruas. Este adro, de dois níveis, apresenta algumas árvores e é limitado a N. por um muro de suporte em granito. Neste espaço, sobre plinto paralelepipédico de ângulos com chanfro, ergue-se uma estátua, em bronze, do Padre António Augusto Machado, com a inscrição PE. ANTÓNIO AUGUSTO MACHADO DE VILA MARIM 1911 - 1959.
Utilização Inicial
Religiosa: igreja paroquial
Utilização Actual
Religiosa: igreja paroquial
Propriedade
Privada: Igreja Católica
Época Construção
Séc. 16 / 18 / 20
Cronologia
Séc. 16 - época provável da construção da igreja; 1591 - data do primeiro registo de baptismos e de casamentos documentado; 1587 - data do primeiro registo de óbitos documentado; 1683 - Construção da capela lateral; séc. 18 - feitura dos retábulos de talha; 1758, 27 Abril - segundo o reitor António Pinheiro nas Memórias Paroquiais, a freguesia era do bispado do Porto, comarca eclesiástica de Sobre Tâmega e no secular de Lamego, termo e concelho da vila de Mesão Frio, pertencendo ao rei; tinha 752 pessoas maiores, 68 menores, 17 ausentes e 228 fogos; a paróquia situa-se no princípio do lugar da Igreja, tem orado de São Mamede e a igreja uma nave e quatro altares: altar-mor, do Santíssimo Sacramento, o da Senhora, o de São Sebastião e o das Almas; sobre o arco tem umas armas; tem uma Irmandade com $050 anuais de cada irmão para sustento da mesma; o pároco é reitor, a igreja é de concurso dada pelo Pontífice, e tem renda com frutos certos e incertos de cerca de 200$000; ao lado do adro da igreja, da parte N., achava-se um túmulo de pedra, de grão antiquíssimo, com um letreiro esculpido na capa dizendo: Aqui jaz quem desejou de viver como [susudo], mais em fim, já acabou como há-de acabar tudo, desconhecendo-se a quem pertencera; 1910 - data inscrita ladeando uma das janelas da fachada lateral direita; 1932 - construção da torre.
Características Particulares
Igreja de provável construção quinhentista, de que conserva portal com chanfro, muito remodelada e descaracterizada pelos materiais de acabamento. A torre construída na década de 1930, tem altura desproporcionada em relação à igreja. Apesar disso ainda conserva no interior uma capela maneirista e a decoração barroca da capela-mor.
Dados Técnicos
Sistema estrutural de paredes portantes.
Materiais
Estrutura rebocada e pintada de barro; molduras dos vãos em cantaria de granito ou de xisto; friso e cornija de xisto; caixilharias de madeira; pavimento em madeira; retábulo de talha dourada; tecto de caixotões entalhados e pintados; revestimento do adro em cubo de granito e / ou calcáreo e basalto; cobertura de telha.
Bibliografia
CAPELA, José Viriato, BORRALHEIRO, Rogério, MATOS, Henrique, As Freguesias do Distrito de Vila Real nas Memórias Paroquiais de 1758. Memórias, História e Património, Braga, 2006.
Intervenção Realizada
1990, década - Substituição da cobertura da nave e capela-mor; obras de conservação (pinturas).
Observações
Inscrição de 1683 no interior da Igreja é provavelmente alusiva ao promotor e à data de construção do imóvel.
Fonte
S.I.P.A. por Ricardo Teixeira e Isabel Sereno

 

Freguesias e Património

Mesão Frio oferece mais...