• www.mesaofrio.com.pt
  • www.mesaofrio.com.pt
  • www.mesaofrio.com.pt
  • www.mesaofrio.com.pt

História

Lazer

Vitivinicultura

Gastronomia

Artesanato

Casa de Santiago

  • Versão para impressãoEnviar por E-mail

Construída no séc 18, encontra-se a meia encosta inserida no interior de uma quinta com o mesmo nome, com acesso principal a partir de um portão engradado à face da Estrada Nacional inserido no muro de suporte do jardim da casa. A casa implanta-se num terreno de forte pendente, disfrutando de vistas sobre o Douro, constituindo elemento de destaque na paisagem pela sua massa volumétrica.

Arquitectura civil residencial, barroca. Solar barroco de planta em L, com três fachadas de fenestração regular e ritmada.
Descrição
Casa de planta composta em L. Volumes articulados com cobertura em telhado de quatro águas. A fachada principal orientada a O. de dois pisos separados por friso duplo, encaixada entre largas pilastras escalonadas, apresenta no primeiro piso três portas e dois postigos. No segundo piso destacam-se ligeiramente os balanços de nove janelas de sacada, dispostas regularmente e emolduradas por granito com padieiras recortadas e destacadas. A rematar, uma alta cornija com diversos frisos que contornam as duas fachadas laterais. Uma delas, a S., apenas de um piso apresenta a porta de entrada de verga curva não plana ladeada por duas janelas de guilhotina com padieiras iguais às descritas. A fachada N. com a linha da base fortemente inclinada, dado o declive do caminho confrontante, apresenta ao nível do primeiro piso duas largas portas e no piso superior quatro janelas de guilhotina. A fachada posterior com dois pisos de altura mais reduzida, pelo seu carácter inacabado não é marcada por uma ordem compositiva rigorosa: ora janelas, ora portas estreitas ou largas desprovidas das molduras em cantaria dos restantes alçados. No espaço interior, caracterizado por uma sucessão de salas, destacam-se dois tectos em caixotões com florões salientes profusamente trabalhados. Ao nível do piso à cota da estrada localiza-se um amplo espaço de adega.
Acessos
EN 108 GPS: N41ᵒ9,672” – W 7ᵒ52,058”
Grau
3
Enquadramento
Rural, isolado, a meia encosta inserido no interior de uma quinta com o mesmo nome, com acesso principal a partir de um portão engradado à face da EN inserido no muro de suporte do jardim da casa. A casa faz gaveto com a EN e um caminho de ligação a Vila Marim, apresentando para este a entrada secundária, definida por dois pilares em granito. Esta entrada permite o acesso a um pátio de serviço entre a casa e um anexo de dois pisos. A casa implanta-se num terreno de forte pendente, disfrutando de vistas sobre o Douro, constituindo elemento de destaque na paisagem pela sua massa volumétrica.
Utilização Inicial
Residencial
Utilização Actual
Residencial / assistencial. Casa de habitação e consultório médico

 

Propriedade
Privada: pessoa singular
Época Construção
Séc. 18 (conj.)
Cronologia
Séc. 18 - Provável construção da casa; séc. 19 - segundo Pinho Leal pertenceu a Manuel Soares d'Albergaria e nesta altura era do Barão de Fornellos; séc. 20, década 50 - adquirida por António Ribeiro a uma família Borges que foi para o Brasil; 1995 - a casa é adquirida pela actual proprietária.
Características Particulares
Solar de volume emergente na paisagem com dupla fachada principal, uma mais larga virada à rua e ao Douro e de dois pisos, e uma outra, mais intimista e de um só piso, virada para pátio vedado. Fachadas com molduras e cornijas em cantaria de grande dimensão e rigor compositivo e possantes pilastras escalonadas. A fachada posterior apresenta vãos simples, sem qualquer moldura e o topo do L mais saliente apresenta num dos ângulos uma chaminé e apenas duas aberturas, conferindo um carácter inacabado à casa.
Dados Técnicos
Paredes autoportantes.
Materiais
Paredes exteriores de alvenaria de granito rebocadas pelo interior e exterior; cobertura revestida a telha de barro; caixilharias de madeira pintada; revestimento de pavimentos a soalho de madeira e / ou alcatifa; guarda de varandas em ferro pintado; tectos interiores em caixotões de madeira (apenas dois) e estuque; tijoleira cerâmica a revestir pavimentos exteriores.
Bibliografia
LEAL, Augusto Soares Azevedo Barbosa de Pinho, Portugal Antigo e Moderno, Lisboa, 1875; MONTEIRO, Manuel, O Douro, Porto, 1998.
Intervenção Realizada
1950 / 1960 - Revestimento do soalho a alcatifa e papel de parede a forrar as paredes; 1976 - substituição das caixilharias das fachadas.
Observações
A casa está ligada à produção do Vinho do Porto e vinho de consumo. É intenção do marido da proprietária, transferir o seu consultório médico, integrado numa área da casa junto ao pátio das traseiras, para o anexo em frente.
Fonte
S.I.P.A. por Isabel Sereno

 

Freguesias e Património

Mesão Frio oferece mais...