• www.mesaofrio.com.pt
  • www.mesaofrio.com.pt
  • www.mesaofrio.com.pt
  • www.mesaofrio.com.pt

História

Lazer

Vitivinicultura

Gastronomia

Artesanato

Casa da Picota

  • Versão para impressãoEnviar por E-mail

Em frente ao actual Largo do Cruzeiro encontra-se a Casa da Picota dos Azeredos de Mesão Frio, cuja linhagem genealógica principiou em João Roiz de Azeredo, um fidalgo que combateu nas guerras contra Castela. Foi construída em 1542 por Henrique de Azeredo Vasconcelos, o primeiro dos Azeredos a instalar-se em Mesão Frio.

Arquitectura residencial, barroca. Solar de planta rectangular composto por capela e ala residencial, volumetricamente indistintos, com fachada principal de dois pisos e três panos, definidos por pilastras toscanas, e terminada em duplo friso e dupla cornija, sobreposta por gárgulas de canhão. Ala residencial rasgada por vãos rectilíneos, compostos no piso térreo por janelas de peitoril com caixilharia de guilhotina, encimadas por friso estreito, e no pano maior portal de verga recta sobre pilastras, encimado por brasão de família e cornija, e, no segundo piso, por janelas de sacada, com bacia curva decorada por faixas curvas, encimadas por cornija e com guardas em ferro. No pano direito, o da capela, abre-se portal de verga recta sobre duplas pilastras, encimado por vários frisos, e janela de sacada igual às restantes, encimada por sineira. Fachada lateral direita cega e a posterior com corpo principal rasgado por janelas de peitoril e caixilharia de guilhotina, e porta no térreo e uma janela de sacada no superior.


Descrição
Planta rectangular composta por corpo principal, de maiores dimensões, e vários outros rectangulares, mais pequenos, com volumes escalonados e coberturas diferenciadas em telhados de quatro águas. Fachadas rebocadas e pintadas de branco, à excepção de um dos corpos adossados, que é em cantaria aparente, com as juntas pintadas de branco. Corpo principal de dois pisos, com pilastras toscanas nos cunhais, e terminado em friso e cornija sobreposta por beirada simples. Fachada principal virada a NO. percorrida por embasamento, terminada em duplo friso e dupla cornija, a inferior decorada por faixas inclinadas intercalados por pequenas flores, e com gárgulas de canhão caneladas no alinhamento das pilastras; apresenta três panos, de tamanhos desiguais, dois correspondendo à ala residencial e o da direita à capela. O pano esquerdo, o maior, é rasgado no piso térreo por portal central de verga recta sobre pilastras de capitel muito saliente, encimado por faixa rectangular, sobrepujada por cornija e brasão de família inserido em moldura rectangular, disposta na vertical; de cada lado, com os pisos separados por friso, abrem-se duas janelas rectilíneas de peitoril, com caixilharia de guilhotina, encimadas por fina cornija recta, no piso térreo, e por duas janelas de sacada, de verga recta sobre pilastras de capitel saliente, com a sacada assente em bacia rectangular lavrada por faixas inclinadas e com guarda de ferro forjado, com pinhas nos ângulos, encimadas por cornija recta bastante saliente. No pano intermédio abre-se, em cada um dos pisos, duas janelas de igual modinatura. A capela é rasgada por portal de verga recta sobre duplas pilastras almofadadas, encimadas por vários frisos e cornijas, alternando formas rectas, côncavas e convexa, a última das quais decorada com faixas inclinadas, possuindo no alinhamento das pilastras friso com losangos e, superiormente, tendo a inscrição dividida ANO DE 1728. Ao nível do segundo piso surge uma janela de sacada igual às da ala residencial, sobrepujada por pequeno sino apoiado em estrutura metálica. À fachada lateral esquerda adossam-se outros corpos, prolongando a frontaria, sendo rasgados por janelas rectangulares molduradas e porta de verga recta encimada por friso estreito.

 

Fachada lateral direita com o pano da capela cego e a posterior com corpo principal rasgada regularmente por vãos rectilíneos, possuindo no térreo uma porta e várias janelas de guilhotina e no segundo janelas de guilhotina e, no topo direito, uma de sacada; no corpo secundário, mais baixo e integrando ampla chaminé perpendicular, existe no segundo piso sete janelas de guilhotina geminadas.
Acessos
Largo do Cruzeiro, nº 59. WGS84: lat. 41º09'41.71''N., long. 7º53'14.73''O.
Grau
5
Enquadramento
Urbano, isolado, no extremo do centro histórico, disposto de gaveto, adaptado ao declive do terreno, formando frente de rua, separando-se da mesma por passeio e possuindo posteriormente quinta de produção, com vinha. Em frente possui largo, no centro do qual se ergue Cruzeiro dos Centenários e, no topo NE., chafariz de espaldar, datado de 1861.
Descrição Complementar
Sobre o portal principal existe brasão de família, inscrito numa moldura rectangular, disposta na vertical, com escudo partido, tendo na pala direita as armas dos Azeredos, de azul com dez bastões de ouro em contra-banda, e na pala esquerda as dos Lobos, de prata, com cinco lobos passantes de negro, armados e lampassados de vermelho postos em sautor, envolvido por paquife e com elmo.
Utilização Inicial
Residencial: solar com capela
Utilização Actual
Residencial: solar com capela
Propriedade
Privada: pessoa singular
Época Construção
Séc. 18 / 20
Cronologia
1728 - data inscrita em friso sobre o portal da capela da casa; 1809, 11 Maio - destruição da Igreja paroquial de Santa Cristina pelas tropas do general Loison, aquando da 2ª invasão francesa, comandada por Soult; o culto passou a ser celebrado na capela do antigo solar da Picota; posteriormente este foi parcialmente destruído por um violento incêndio; 1834, 28 Maio - após a saída dos frades franciscanos, na sequência da extinção das Ordens Religiosas, os paroquianos de Santa Cristina apossaram-se abusivamente da Igreja de Nossa Senhora da Piedade, convertendo-a, com todos os seus pertences, na sua igreja matriz, que passou a designar-se de Santa Cristina; séc. 20 - instalação de uma serralharia no solar, ali laborando até à década de 60 / 70; 1940 - mudança de designação da Praça da Erva para Largo do Cruzeiro.
Características Particulares
Solar com fachada principal rematada com duplo friso e dupla cornija, a inferior decorada com faixas inclinadas intercalados por flores, motivo que surge igualmente a rematar o portal da capela e na bacia das janelas de sacada do andar nobre, ainda que ali sem as flores intermédias. Estas janelas, bem como o portal principal da ala residencial possuem uma verga mais estreita que as pilastras onde assentam, conferindo algum desequilíbrio formal à frontaria. O portal da capela apresenta maior erudição, sobretudo devido à sobreposição de frisos alternados, alguns convexos, e às duplas pilastras; este apresenta ainda inscrição com a data da construção.
Dados Técnicos
Sistema estrutural de paredes portantes.
Materiais
Estrutura rebocada e pintada; pilastras, frisos e cornijas, molduras dos vãos, bacias das sacadas e gárgulas em cantaria de granito; caixilharia e portas de madeira; vidros simples; grades e guardas em ferro; algerozes metálicos; cobertura de telha.
Bibliografia
DIAS, António Gonçalves, Fastos de Mesão Frio. Crónicas Escritas à guisa de Monografia, 1999.
Fonte
S.I.P.A por Paula Noé

 
 

Freguesias e Património

Mesão Frio oferece mais...