• www.mesaofrio.com.pt
  • www.mesaofrio.com.pt
  • www.mesaofrio.com.pt
  • www.mesaofrio.com.pt

História

Lazer

Vitivinicultura

Gastronomia

Artesanato

Capela de Santa Rita

  • Versão para impressãoEnviar por E-mail

1728 é a data inscrita no lintel do portal assinalando a construção da capela. Está na encosta da Região Demarcada do Douro, sobranceira à vila de Mesão Frio. Inserida no aglomerado de casas em Brunhais. A fachada principal abre-se para um pequeno largo frontal com um belo miradouro.

Arquitectura religiosa, maneirista. Capela setecentista de planta longitudinal, interiormente de espaço único, iluminado frontal e unilateralmente e com tecto de madeira. Fachada principal terminada em empena, truncada por sineira e rasgada por portal de verga recta sobre pilastras, encimado por friso e frontão triangular, e óculo. Fachada lateral com porta travessa e janela de capialço.
Descrição
Planta longitudinal rectangular, de corpo único, com cobertura homogénea em telhado de duas águas. Fachadas rebocadas e pintadas de branco, com embasamento e cunhais de cantaria. Fachada principal virada a SO., terminada em empena escalonada, rematada em cornija telhada, truncada por campanário, de ventana única, em arco de volta perfeita sobre pilares e com remate em cornija encimada por cruz e pináculos laterais. Portal de verga recta, com a inscrição "ANNO D.1728.", sobre pilastras toscanas, encimado por friso e frontão triangular com imagem escultórica da Virgem em nicho envidraçado rasgado no tímpano. Encima-o óculo circular com grade em cruz. Fachada lateral N., terminada em cornija em ducina, sobre o portal vazada por orifício curvo, sobreposta por beirada simples, rasgada por porta travessa, de verga recta e janela rectangular de capialço, sensivelmente a meio. Fachada lateral S. e posterior adossadas a habitações, sobressaindo o remate em empena da fachada posterior, com cornija, coroada por cruz latina sobre plinto paralelepipédico liso. INTERIOR de espaço único, com pavimento de soalho envernizado, paredes rebocadas e pintadas de branco, com silhar de azulejos industriais de motivo geométrico policromo, e, sobre cornija, tecto de perfil curvo pintado de azul com medalhão central, em estuque, de onde pende o candelabro. Coro-alto de madeira com acesso por um lanço de escadas de madeira adossadas à parede do lado do Evangelho. Sobre supedâneo de cantaria e com acesso frontal por dois degraus centrais, surge o retábulo-mor em talha policroma verde e dourado, de planta recta e três eixos, definidos por colunelos, sobre dupla ordem de plintos paralelepipédicos, coroados por pináculos; no eixo central surge apainelado seccionado em três, cada um deles sobreposto por mísula, e com o central alteado e rematado em baldaquino com cruz. Na parede do lado do Evangelho existe vão rectangular, correspondendo a antigo armário embutido.
Acessos
Lugar de Brunhais. Desvio pela EM 1325 a partir da EM 601 que se dirige de Mesão Frio para Vila Marim; Fl. 126 GPS:N41ᵒ10,146” – W7ᵒ52,925”
Grau
3
Enquadramento
Rural. Encosta da Região Demarcada do Douro, sobranceira à vila de Mesão Frio. Inserida no aglomerado de casas de Brunhais, tendo adossado à fachada lateral e posterior habitações incaracterísticas. A fachada principal abre-se para um pequeno largo frontal.

 


Utilização Inicial
Religiosa: capela
Utilização Actual
Religiosa: capela com celebração de duas missas mensais, e festa anual no dia 22 de Maio
Propriedade
Privada: Igreja Católica
Época Construção
Séc. 18 / 19
Cronologia
1728 - data inscrita no lintel do portal assinalando a construção da capela; 1758, 23 Abril - referência à Capela de Santa Rita no lugar de Brunhais pelo cura Domingos Teixeira Soares nas Memórias Paroquiais da freguesia de Santa Cristina; séc. 19 - feitura do retábulo-mor.
Características Particulares
Capela seguindo a tradição maneirista, mas com a fachada principal a revelar reforma mais recente, já que a empena é escalonada acima dos cunhais, que são horizontalizados, sublinhada por beirada simples. As cornijas do frontão sobre o portal são também de feitura, ainda que siga uma tipologia comum nas capelas da região. A colocação de cantaria nos cunhais data já do início do séc. 21. Retábulo-mor revivalista, na vertente neogótica.
Dados Técnicos
Sistema estrutural de paredes portantes.
Materiais
Estrutura rebocada e pintada; cunhais, molduras dos vãos, embasamento, cornijas, sineira e supedâneo em cantaria de granito; pavimento e coro-alto de madeira; silhar de azulejos; altar de talha; tecto de estuque; cornijas do frontão sobre o portal em betão; vidros simples e martelados; grades de ferro; cobertura em telha marselha com beirais em telha de meia-cana.
Bibliografia
AZEVEDO, Correia de, Património Artístico da Região Duriense, Vila do Conde, 1972, p. 18; CAPELA, José Viriato, BORRALHEIRO, Rogério, MATOS, Henrique, As Freguesias do Distrito de Vila Real nas Memórias Paroquiais de 1758. Memórias, História e Património, Braga, 2006.
Intervenção Realizada
Comissão Fabriqueira: 1993, cerca - reparação geral, substituição do coro-alto, colocação do silhar de azulejos; séc. 21, inícios - obras de conservação; colocação de cantaria nos cunhais; 2007 - obras de remodelação da casa adossada à fachada lateral direita.
Fonte
S.I.P.A. por Ricardo Teixeira

 

Freguesias e Património

Mesão Frio oferece mais...