rios

Conhecemo-los há muitos anos e aprendemos a admirar as belezas secretas dos seus leitos. Hoje conhecemos a sua profundidade, sabemos das águas barrentas e revoltas dos períodos difíceis mas,  sabemos contemplar a placidez das suas águas admirando o reflexo do céu e da vida que se renova nas suas entranhas.

Correm entre margens largas, gastas, altas e baixas, descendo de altivas montanhas ou só colinas... correm, depois de nascerem, vivos sem quererem morrer, tortos e direitos, cheios ou nem tanto até abrir o sabor dos seus corpos ao mar. Andando, escorregando sem descanso, descansando ao escorregar pelas artérias sulcadas do solo, seguem selvagens...

Rio Douro nasce em Espanha, nos picos da Serra de Urbião e atravessa o Norte de Portugal. A foz do Douro é junto às cidades do Porto e Vila Nova de Gaia. Tem cerca de 927 km de comprimento e é o segundo rio mais extenso da Península Ibérica.

Rio Teixeira nasce na Serra do Marão, corre para Sul, e é um afluente da margem direita do Rio Douro. Tem cerca de 18 km de curso.

Rio Sermanha nasce, igualmente, na Serra do Marão, corre para Sul e desagua na margem direita do rio Douro, possuindo um curso de cerca de 5 km.