• www.mesaofrio.com.pt
  • www.mesaofrio.com.pt
  • www.mesaofrio.com.pt
  • www.mesaofrio.com.pt

História

Lazer

Vitivinicultura

Gastronomia

Artesanato

Igreja Paroquial de Cidadelhe

  • Versão para impressãoEnviar por E-mail

Tendo como padroeiro São Vicente, esta igreja construída no séc. XVIII, apresenta um estilo barroco.  Tem um enquadramento rural, isolado, no cabeço de um monte a 313 m de altitude, destacado no aglomerado de Cidadelhe, inserido em plataforma artificial, formando adro, delimitado por muro, e de onde se desfruta de esplêndido panorama sobre a paisagem do Douro.

Arquitectura religiosa, barroca e tardo-barroca. Igreja paroquial barroca de planta longitudinal composta por nave e capela-mor, mais baixa e estreita, interiormente com iluminação axial e bilateral e com tectos de madeira, tendo adossado torre sineira e capela-lateral. Fachadas rebocadas e pintadas, com pilastras toscanas nos cunhais, coroadas por fogaréus e terminadas em friso e cornija; a principal, termina em empena recortada e é rasgada por eixo de vãos composto, por portal de verga abatida, com moldura sobreposta por profusa decoração de concheados e acantos encimada por frontão invertido, janelão recortado com concheados na moldura e nicho trilobado com imagem do orago, ladeado por estípetes suportando cornija de lanços; lateralmente, abrem-se dois óculos igualmente com profusa decoração de concheados e acantos. Fachadas laterais rasgadas por janelas de verga abatida, com moldura formando pingentes e terminada em cornija contracurvada com pequenas aletas, e, na lateral esquerda, por porta travessa de arco festonado, de moldura recortada, formando aletas e frontão contracurvado, sobreposta por concheados recortados. Fachada posterior terminada em empena, rasgada por portal encimado por tabela com óculo. No interior possui coro-alto, vãos encimados por sanefas de talha, em barroco joanino, dois confessionários embutidos, púlpitos laterais confrontantes, com guarda plena, e retábulos em talha policroma tardo-barroca, o da capela lateral do Evangelho de planta côncava e um eixo, o da Epístola de planta recta e um eixo, os colaterais de planta côncava e um eixo, e o retábulo-mor, de planta côncava e três eixos.
Descrição
Planta longitudinal, composta por nave única e capela-mor, mais baixa e estreita, tendo adossado em eixo sacristia da mesma altura e à fachada lateral esquerda torre sineira quadrangular e capela lateral profunda, rectangular. Volumes escalonados com coberturas diferenciadas em telhados de duas águas e, na torre, em coruchéu piramidal, com olho de boi frontal, e elemento decorativo no remate, coroado por catavento de ferro. Fachadas rebocadas e pintadas de branco, com pilastras toscanas nos cunhais, coroadas por fogaréus de corpo galbado e gomeado, na igreja, ou bolas, na torre e capela lateral, sobre plintos paralelepipédicos, percorridas por embasamento, e terminadas em friso e cornija moldurada, sobreposta por beirada simples. Fachada principal virada a O., terminada em empena recortada, coroada por cruz latina com braços de remate flordelizado, sobre globo, e com as pilastras dos cunhais sobrepostas nos topos por rocalhas; é rasgada por portal de verga abatida, com moldura exteriormente recorta, sobreposta no fecho e nas jambas por concheados e acantos, que formam aletas com motivos fitomórficos, encimado por fragmentos de frontão invertido e interrompido por cartela envolta em concheados; a porta, de duas folhas almofadadas, possui na bandeira as almofadas sobrepostas por concheados.

 

Sobre o portal, abre-se janela facetada, de moldura igualmente sobreposta por concheados, encimado por nicho de arco trilobado sobre pilastras, interiormente abobadado e albergando imagem do orago, policroma; assenta em cornija contracurvada com cartela concheada na mísula, é protegido por porta envidraçada, ladeada por estípites sobrepostas por elementos fitomórficos, e encimado por espaldar almofadado de cantaria com cartela, coroa e cornija de lanços. O portal é enquadrado por dois óculos quadrilobados de molduras recortadas sobrepostas por concechados e acantos, e rematada por amplo concheado recortado; os óculos são gradeados e têm portadas de madeira, pintadas de verde. A torre sineira, sensivelmente recuada e de três registos definidos por friso e cornija, é rasgada a O., no primeiro, por vão rectangular, de moldura simples e gradeado, no segundo, com falso soco e a partir da qual a torre estreita, por óculo circular de moldura simples, e no terceiro, em cada uma das faces, por sineira em arco de volta perfeita, albergando sino frontalmente. Na fachada lateral esquerda, rasgam-se na torre e na nave portal de arco festonado, de moldura almofadada e recortada, formando aletas e frontão contracurvado, sobreposta no terço superior e no fecho por concheados recortados; na nave abrem-se ainda, nesta fachada e na oposta, duas janelas de verga abatida, gradeadas, com moldura almofadada formando pingentes e terminada em cornija contracurvada com pequenas aletas laterais, e, na capela-mor, uma janela igual e uma fresta. Na capela lateral abre-se, virada a O. um portal semelhante, mas sem os concheados nas jambas e tendo no fecho florão, e a O. e a E. janela também semelhante, mas sem os pingentes e pequenas aletas laterais. Fachada posterior terminada em empena, coroada por cruz latina de braços quadrangulares rematados em botão, sobre acrotério, rasgada por portal em arco canopial, com moldura superiormente alta e curva, encimada por tabela, definida por aletas, rematada em cornija angular e integrando óculo circular. INTERIOR com as paredes rebocadas e pintadas de branco, pavimento em soalho de madeira e tecto de madeira, em masseira, assente em friso e cornija de cantaria. Os vãos são encimados por sanefas de talha policroma a bege, azul e dourado, com espaldar terminado em cornija contracurvada sobreposta por concheados e com lambrequim. Coro-alto sobre placa, com guarda em balaustrada de madeira, acedido por portal de verga recta no lado do Evangelho; no sub-coro, com tecto tipo masseira, possui os óculos protegidos por cortinas vermelhas com sanefas de talha; ladeia o portal, do lado da Epístola ampla pia de água benta, com taça cilíndrica exteriormente gomeada. No lado do Evangelho, rasga-se o baptistério, em arco de volta perfeita sobre pilastras, interiormente com abóbada de berço, parede testeira revestida a painel de azulejos representando o Baptismo de Cristo e lateralmente com vão quadrangular; alberga pia baptismal, de taça cilíndrica exteriormente facetada, protegido por guarda em balaústres torneados. No lado da Epístola abre-se uma capela lateral pouco profunda, revestida a talha policroma a bege e painel retabular alusivo às Almas. Lateralmente, de ambos os lados, existe um confessionário embutido com apainelado e porta de madeira, de arco canopial protegido por cortina, rematado por espaldar terminado em cornijas volutadas interrompida por cruz latina. Sensivelmente a meio, surgem, também de ambos os lados, dois púlpitos semelhantes, com bacia de perfil curvo, mas com recortes laterais, sobre mísula com volutas, guarda plena em talha policroma a bege e azul, decorada com rocalhas, concheados e flores, acedido por vão de verga abatida, encimada por sanefa, acedido por escada rasgada na espessura dos muros, a partir de portal igualmente com verga abatida, porta ornada de concheados e motivos vegetalistas, encimada por sanefa. No lado do Evangelho, abre-se a capela lateral profunda, acedida por arco de volta perfeita com falsos capitéis decorados por acantos muito relevados, interiormente albergando retábulo de talha policroma a bege, rosa, azul e dourado de planta côncava e um eixo. A capela possui tecto de madeira, de perfil curvo, sobre cornija. Arco triunfal de volta perfeita sobre pilastras toscanas, ladeado por retábulos colaterais, postos de ângulo e de estrutura semelhante, de planta côncava e um eixo, em talha policroma a bege, azul, e dourado. Capela-mor com pavimento e supedâneo em cantaria, o último acedido por quatro degraus, sobre o qual assenta o retábulo-mor de talha policroma a bege, rosa, azul e dourado, de planta recta e três eixos, definidos por dois colunelos com concheados no fuste e no capitel e por duas colunas, marmoreados a rosa, ornadas de concheados no terço inferior e de capitéis coríntios, os primeiros assentes em mísulas e as segundas em plintos galbados, todos com concheados; ao centro, abre-se tribuna de perfil curvo, com moldura sobreposta por concheados, inferiormente com braços a emergir do sotobanco, interiormente pintada de azul e albergando trono expositivo de quatro degraus decorados de concheados ou elementos fitomórficos, encimado por nicho envolto em amplo resplendor; nos eixos laterais surgem apainelados, sobrepostos por mísula com concheados sustentando imaginária; sobre o entablamento, com friso de acantos, desenvolve-se o ático adaptado ao perfil da cobertura, com fragmentos de frontão interrompido por ampla cartela central, sobreposta por resplendor com coração inflamado, ladeado por concheados, motivos vegetalistas, volutados e, no alinhamento das colunas, falsas mísulas; sob a tribuna, o banco integra o sacrário, tipo templete, terminado em cornija trilobada sobreposta e enquadrada por conheados, tendo na porta cruz latina com resplendor; no sotobanco, apresenta portas de acesso à tribuna, de perfil curvo, decoradas com cartela e elementos vegetalistas entrelaçados, encimadas por concheados. Altar tipo urna, com frontal semelhante aos dos retábulos laterais, ornado de rocalhas formando cartela central.
Acessos
Lugar de Casas Novas, Rua de São Bernardino. WGS84: 41º10'09.76''N., 7º50'33.89''O.
Protecção
Incluído no Alto Douro Vinhateiro - Região Demarcada do Douro (v. PT011701040033)
Grau
2
Enquadramento
Rural, isolado, no cabeço de um monte a 313 m de altitude, destacado no aglomerado de Cidadelhe, inserido em plataforma artificial, formando adro, delimitado por muro, e de onde se desfruta de esplêndido panorama sobre a paisagem do Douro. Nas imediações do adro, pavimentado a calçada ou, na zona entre a torre e a capela lateral, a lajes de cantaria, e pontuado de oliveiras, implanta-se o cemitério.
Descrição Complementar
A capela das Almas apresenta vão em arco em arco de volta perfeita, revestido a talha policroma a bege, com acantos dourados na zona dos capitéis e painel curvo com elementos florais no fecho, interiormente com apainelados sobrepostos por concheados e no tecto formando falso caixolhões almofadados; alberga retábulo com painel pintado alusivo às Almas, figurando São Miguel com a balança, anjos resgatando as Almas e, no topo, uma Trindade horizontal e a Virgem; o painel, de perfil curvo, possui moldura recortada, definida por aletas, concheados e terminada em cartela ladeada por fragmentos de cornija, rematada em cornija curva. Altar tipo urna, com frontal em talha policroma a bege e azul, decorado com rocalhas formando cartelas. Na capela lateral profunda, sobre o supedâneo de cantaria, acedia por três degraus centrais, surge retábulo de talha policroma a bege, azul, marmoreados fingidos a rosa e dourado, de planta côncava e um eixo, definido por duas colunas de fuste liso ornado de espira fitomórfica, sobre duas ordens de plintos sobrepostos, os inferiores paralelepipédicos e os superiores galbados, ornados e elementos vegetalistas e fitomórficos, e com capitéis coríntios, e duas falsas pilastras, ornadas de concheados e sobrepostas por mísulas com imaginária; ao centro, abre-se tribuna de perfil curvo, com moldura sobreposta por concheados, interiormente pintada a rosa e albergando imaginária; sobre entablamento contracurvado, desenvolve-se o ático, adaptado ao perfil da cobertura, decorado com fragmentos de frontão e ampla cartela central, contendo resplendor com fénix, elementos volutados, fitomórficos e concheados, terminada em cornija com concheados e motivos vegetalistas vazados. Banco com apainelados contendo concheados integrando ao centro sacrário tipo templete, com porta terminada em cornija contracurvada encimada por concheados vazados. Altar tipo urna de frontal igualmente decorado com cartela, concheados e motivos vegetalistas. Os retábulos colaterais apresentam estrutura semelhante, de planta côncava e corpo recto e um eixo, definido por duas colunas de fuste liso, decorado no terço inferior por laçarias e festões, assentes em plintos galbados, ornados de concheados e acantos nos ângulos, e de capitéis coríntios, dispostos em frente de pilastras, igualmente decoradas de concheados e rocalhas; ao centro abre-se nicho de perfil recortado e moldura sobreposta por concheados que, superiormente criam cartela, interiormente pintado de azul e albergando imaginária sobre mísula; ático em frontão contracurvado, ornado por resplendor com fénix relevado e concheados, sobrepujado por cartela volutada vazada e concheados, igualmente vazados; banco com apainelados de concheados, integrando ao centro sacrário tipo templete, terminado em cornija contracurvada sobreposta por concheados. Altar tipo urna, de frontal decorado com concheados e rocalhas, ao centro formando cartela.
Utilização Inicial
Religiosa: Igreja Paroquial
Utilização Actual
Religiosa: Igreja Paroquial
Propriedade
Privada: Igreja Católica
Época Construção
Séc. 18
Cronologia
1320 / 1321 - no arrolamento mandado elaborar por D. Dinis para taxar as igrejas paroquiais, a de Cidadelhe era taxada em 400 libras; 1591 - data do primeiro registo de casamento documentado; 1592 - data do primeiro registo de óbitos documentado; 1603 - data do primeiro registo de baptismos documentado; 1758, 1758, 20 Abril - segundo o abade Manuel da Costa Guimarães, nas Memórias Paroquiais, a freguesia pertencia à comarca de Sobre Tâmega, bispado do Porto, no espiritual, e, no temporal, ao termo da vila de Mesão Frio e comarca de Lamego; era da jurisdição real; tinha 68 vizinhos e 258 pessoas; a igreja, com orado de São Vicente, tinha três altares com confraria: o altar maior com a confraria do Santíssimo Sacramento, o colateral do Evangelho com confraria de Nossa senhora da Conceição e o da Epístola com confraria do Santíssimo Nome de Jesus; tinha também um altar das Almas com sua Irmandade e uma capela unida à igreja, de Luís Magalhães Coutinho, com seu altar e albergando a imagem de Nossa Senhora do Rosário; o pároco era abade apresentado pelo Bispo; rendia, ano por outro, 2 mil cruzados até um conto de réis; séc. 18, finais - reforma da igreja e execução dos retábulos; 1922, 22 Abril - criação da diocese de Vila Real a que passou a pertencer a paróquia de Cidadelhe; 1937 - a igreja encontrava-se em muito mau estado de conservação, necessitando de reparações urgentes,
Características Particulares
Igreja paroquial reformada em finais do séc. 18, de que se destaca a fachada principal pela profusão decorativa dos elementos de cantaria, lavrados com rocalhas, concheados e acantos, que sobrepõem as pilastras dos cunhais e as molduras dos vãos, dinimizando a estrutura, já por si rica, graças aos perfis recortados da empena e dos vãos. O portal com o seu frontão invertido denota influência nasoniana. Os fogaréus são também bastante elegantes e verticalizados, assentando em plintos escalonados. A torre sineira e a capela lateral datam da mesma época, visto possuírem portais semelhantes à porta travessa, com arco festonado, de moldura almofadada e recortada, formando aletas e frontão contracurvado, sobreposta por concheados recortados ou florões, sendo o da torre o mais simples, tendo o fecho liso. Conserva ainda as portas de madeira com almofadas decoradas de concheados, a axial apenas na bandeira. Na fachada posterior abre-se portal de acesso à sacristia, disposta em eixo, com arco canopial de moldura curva, formando falsas orelhas, e com tabela recortada e definida por friso volutado, terminada em cornija angular. No interior, o portal axial é ladeado por ampla pia de água benta, gomeada. O baptistério apresenta a parede testeira revestida a painel de azulejos recente, alusivo ao Baptismo de Cristo, e alberga pia baptismal facetada, talvez do séc. 17 / 18. A Capela das Almas integra no retábulo tardo-barroco uma tela mais antiga, possivelmente do séc. 17, onde figura São Miguel com a balança, dois anjos resgatando as almas e, superiormente, uma Trindade horizontal e a Virgem, junto a Jesus. Os púlpitos possuem bacia e guarda plena curva, mas de perfil recortado, a última em talha policroma tardo-barroca com rocalhas, sendo acedidos por escadas desenvolvidas no interior da caixa murária. A capela lateral profunda possui o vão de acesso sobre pilastras com falsos capitéis em acantos espraiados, muito relevados. Os retábulos colaterais de talha tardo-barroca apresentam decoração profusa em rocalhas e concheados, rematando em elegante cartela vazada e concheados. Na capela-mor, destaca-se o retábulo-mor, com alguma influência do esquema dos delineados por André Soares, em que braços laterais emergem do sotobanco, a partir do sacrário central.
Dados Técnicos
Sistema estrutural de paredes portantes.
Materiais
Estrutura rebocada e pintada; embasamento, frisos e cornijas, pilastras, molduras dos vãos, pináculos, fogaréus e cruzes das empenas, pia de água benta e baptismal, bacia do púlpito e outros elementos em cantaria de granito; pavimento em soalho de madeira e lajes de cantaria na capela lateral e na capela-mor; tectos de madeira; retábulos, sanefas e guarda do púlpito em talha policroma e dourada; confessionários embutidos e teia do coro-alto e baptistério em madeira; painel de azulejos policromos no baptistério; painel pintado numa capela lateral; portas e portadas dos óculos em madeira pintada; placa de betão no coro-alto; vãos com vidros simples e grades de ferro; cobertura de telha.
Bibliografia
FORNELLOS, Alvaro Maria de, Memória Historico-Economica do Concelho de Mesão Frio, Coimbra, 1886; DIAS, António Gonçalves, Fastos de Mesão Frio. Crónicas Escritas à guisa de Monografia, 1999; CAPELA, José Viriato, BORRALHEIRO, Rogério, MATOS, Henrique, As Freguesias do Distrito de Vila Real nas Memórias Paroquiais de 1758. Memórias, História e Património, Braga, 2006.
Intervenção Realizada
DGEMN: 1937, Fevereiro - elaboração de um orçamento no valor de 57.630$00 referentes a obras de restauro da igreja: emboços, rebocos, guarnições e caiações exteriores e interiores; substituição da cobertura com telha de canudo; reparação de cantarias em cunhais, peitoris, vergas, umbreiras e socos; substituição de soalho em pavimento, das madres, ripado e forro da cobertura, de portas interiores; substituição da porta do baptistério com balaustrada; Junho - a Comissão de Culto da freguesia, constituída pelo Padre António Augusto Machado, Cristóvão Alves Ferreira e António Gonçalves Moreira, toma a inteira responsabilidade pelo custo das obras a efectuar na igreja, no que excedesse o subsídio a conceder pelo Estado para as mesmas; 1990, década - pintura das fachadas e reparação do telhado; 1996 - reparação de muro de suporte do adro fronteiro à fachada principal.
Fonte
S.I.P.A. por Ricardo Teixeira , Isabel Sereno e Paula Noé

 

Tendo como padroeiro São Vicente, esta igreja construída no séc. XVIII, apresenta um estilo barroco.  Tem um enquadramento rural, isolado, no cabeço de um monte a 313 m de altitude, destacado no aglomerado de Cidadelhe, inserido em plataforma artificial, formando adro, delimitado por muro, e de onde se desfruta de esplêndido panorama sobre a paisagem do Douro.

Arquitectura religiosa, barroca e tardo-barroca. Igreja paroquial barroca de planta longitudinal composta por nave e capela-mor, mais baixa e estreita, interiormente com iluminação axial e bilateral e com tectos de madeira, tendo adossado torre sineira e capela-lateral. Fachadas rebocadas e pintadas, com pilastras toscanas nos cunhais, coroadas por fogaréus e terminadas em friso e cornija; a principal, termina em empena recortada e é rasgada por eixo de vãos composto, por portal de verga abatida, com moldura sobreposta por profusa decoração de concheados e acantos encimada por frontão invertido, janelão recortado com concheados na moldura e nicho trilobado com imagem do orago, ladeado por estípetes suportando cornija de lanços; lateralmente, abrem-se dois óculos igualmente com profusa decoração de concheados e acantos. Fachadas laterais rasgadas por janelas de verga abatida, com moldura formando pingentes e terminada em cornija contracurvada com pequenas aletas, e, na lateral esquerda, por porta travessa de arco festonado, de moldura recortada, formando aletas e frontão contracurvado, sobreposta por concheados recortados. Fachada posterior terminada em empena, rasgada por portal encimado por tabela com óculo. No interior possui coro-alto, vãos encimados por sanefas de talha, em barroco joanino, dois confessionários embutidos, púlpitos laterais confrontantes, com guarda plena, e retábulos em talha policroma tardo-barroca, o da capela lateral do Evangelho de planta côncava e um eixo, o da Epístola de planta recta e um eixo, os colaterais de planta côncava e um eixo, e o retábulo-mor, de planta côncava e três eixos.
 Descrição
 Planta longitudinal, composta por nave única e capela-mor, mais baixa e estreita, tendo adossado em eixo sacristia da mesma altura e à fachada lateral esquerda torre sineira quadrangular e capela lateral profunda, rectangular. Volumes escalonados com coberturas diferenciadas em telhados de duas águas e, na torre, em coruchéu piramidal, com olho de boi frontal, e elemento decorativo no remate, coroado por catavento de ferro. Fachadas rebocadas e pintadas de branco, com pilastras toscanas nos cunhais, coroadas por fogaréus de corpo galbado e gomeado, na igreja, ou bolas, na torre e capela lateral, sobre plintos paralelepipédicos, percorridas por embasamento, e terminadas em friso e cornija moldurada, sobreposta por beirada simples. Fachada principal virada a O., terminada em empena recortada, coroada por cruz latina com braços de remate flordelizado, sobre globo, e com as pilastras dos cunhais sobrepostas nos topos por rocalhas; é rasgada por portal de verga abatida, com moldura exteriormente recorta, sobreposta no fecho e nas jambas por concheados e acantos, que formam aletas com motivos fitomórficos, encimado por fragmentos de frontão invertido e interrompido por cartela envolta em concheados; a porta, de duas folhas almofadadas, possui na bandeira as almofadas sobrepostas por concheados. Sobre o portal, abre-se janela facetada, de moldura igualmente sobreposta por concheados, encimado por nicho de arco trilobado sobre pilastras, interiormente abobadado e albergando imagem do orago, policroma; assenta em cornija contracurvada com cartela concheada na mísula, é protegido por porta envidraçada, ladeada por estípites sobrepostas por elementos fitomórficos, e encimado por espaldar almofadado de cantaria com cartela, coroa e cornija de lanços. O portal é enquadrado por dois óculos quadrilobados de molduras recortadas sobrepostas por concechados e acantos, e rematada por amplo concheado recortado; os óculos são gradeados e têm portadas de madeira, pintadas de verde. A torre sineira, sensivelmente recuada e de três registos definidos por friso e cornija, é rasgada a O., no primeiro, por vão rectangular, de moldura simples e gradeado, no segundo, com falso soco e a partir da qual a torre estreita, por óculo circular de moldura simples, e no terceiro, em cada uma das faces, por sineira em arco de volta perfeita, albergando sino frontalmente. Na fachada lateral esquerda, rasgam-se na torre e na nave portal de arco festonado, de moldura almofadada e recortada, formando aletas e frontão contracurvado, sobreposta no terço superior e no fecho por concheados recortados; na nave abrem-se ainda, nesta fachada e na oposta, duas janelas de verga abatida, gradeadas, com moldura almofadada formando pingentes e terminada em cornija contracurvada com pequenas aletas laterais, e, na capela-mor, uma janela igual e uma fresta. Na capela lateral abre-se, virada a O. um portal semelhante, mas sem os concheados nas jambas e tendo no fecho florão, e a O. e a E. janela também semelhante, mas sem os pingentes e pequenas aletas laterais. Fachada posterior terminada em empena, coroada por cruz latina de braços quadrangulares rematados em botão, sobre acrotério, rasgada por portal em arco canopial, com moldura superiormente alta e curva, encimada por tabela, definida por aletas, rematada em cornija angular e integrando óculo circular. INTERIOR com as paredes rebocadas e pintadas de branco, pavimento em soalho de madeira e tecto de madeira, em masseira, assente em friso e cornija de cantaria. Os vãos são encimados por sanefas de talha policroma a bege, azul e dourado, com espaldar terminado em cornija contracurvada sobreposta por concheados e com lambrequim. Coro-alto sobre placa, com guarda em balaustrada de madeira, acedido por portal de verga recta no lado do Evangelho; no sub-coro, com tecto tipo masseira, possui os óculos protegidos por cortinas vermelhas com sanefas de talha; ladeia o portal, do lado da Epístola ampla pia de água benta, com taça cilíndrica exteriormente gomeada. No lado do Evangelho, rasga-se o baptistério, em arco de volta perfeita sobre pilastras, interiormente com abóbada de berço, parede testeira revestida a painel de azulejos representando o Baptismo de Cristo e lateralmente com vão quadrangular; alberga pia baptismal, de taça cilíndrica exteriormente facetada, protegido por guarda em balaústres torneados. No lado da Epístola abre-se uma capela lateral pouco profunda, revestida a talha policroma a bege e painel retabular alusivo às Almas. Lateralmente, de ambos os lados, existe um confessionário embutido com apainelado e porta de madeira, de arco canopial protegido por cortina, rematado por espaldar terminado em cornijas volutadas interrompida por cruz latina. Sensivelmente a meio, surgem, também de ambos os lados, dois púlpitos semelhantes, com bacia de perfil curvo, mas com recortes laterais, sobre mísula com volutas, guarda plena em talha policroma a bege e azul, decorada com rocalhas, concheados e flores, acedido por vão de verga abatida, encimada por sanefa, acedido por escada rasgada na espessura dos muros, a partir de portal igualmente com verga abatida, porta ornada de concheados e motivos vegetalistas, encimada por sanefa. No lado do Evangelho, abre-se a capela lateral profunda, acedida por arco de volta perfeita com falsos capitéis decorados por acantos muito relevados, interiormente albergando retábulo de talha policroma a bege, rosa, azul e dourado de planta côncava e um eixo. A capela possui tecto de madeira, de perfil curvo, sobre cornija. Arco triunfal de volta perfeita sobre pilastras toscanas, ladeado por retábulos colaterais, postos de ângulo e de estrutura semelhante, de planta côncava e um eixo, em talha policroma a bege, azul, e dourado. Capela-mor com pavimento e supedâneo em cantaria, o último acedido por quatro degraus, sobre o qual assenta o retábulo-mor de talha policroma a bege, rosa, azul e dourado, de planta recta e três eixos, definidos por dois colunelos com concheados no fuste e no capitel e por duas colunas, marmoreados a rosa, ornadas de concheados no terço inferior e de capitéis coríntios, os primeiros assentes em mísulas e as segundas em plintos galbados, todos com concheados; ao centro, abre-se tribuna de perfil curvo, com moldura sobreposta por concheados, inferiormente com braços a emergir do sotobanco, interiormente pintada de azul e albergando trono expositivo de quatro degraus decorados de concheados ou elementos fitomórficos, encimado por nicho envolto em amplo resplendor; nos eixos laterais surgem apainelados, sobrepostos por mísula com concheados sustentando imaginária; sobre o entablamento, com friso de acantos, desenvolve-se o ático adaptado ao perfil da cobertura, com fragmentos de frontão interrompido por ampla cartela central, sobreposta por resplendor com coração inflamado, ladeado por concheados, motivos vegetalistas, volutados e, no alinhamento das colunas, falsas mísulas; sob a tribuna, o banco integra o sacrário, tipo templete, terminado em cornija trilobada sobreposta e enquadrada por conheados, tendo na porta cruz latina com resplendor; no sotobanco, apresenta portas de acesso à tribuna, de perfil curvo, decoradas com cartela e elementos vegetalistas entrelaçados, encimadas por concheados. Altar tipo urna, com frontal semelhante aos dos retábulos laterais, ornado de rocalhas formando cartela central.
Acessos
Lugar de Casas Novas, Rua de São Bernardino. WGS84: 41º10'09.76''N., 7º50'33.89''O.
Protecção
Incluído no Alto Douro Vinhateiro - Região Demarcada do Douro (v. PT011701040033)
Grau
2
Enquadramento
Rural, isolado, no cabeço de um monte a 313 m de altitude, destacado no aglomerado de Cidadelhe, inserido em plataforma artificial, formando adro, delimitado por muro, e de onde se desfruta de esplêndido panorama sobre a paisagem do Douro. Nas imediações do adro, pavimentado a calçada ou, na zona entre a torre e a capela lateral, a lajes de cantaria, e pontuado de oliveiras, implanta-se o cemitério.
 Descrição Complementar
A capela das Almas apresenta vão em arco em arco de volta perfeita, revestido a talha policroma a bege, com acantos dourados na zona dos capitéis e painel curvo com elementos florais no fecho, interiormente com apainelados sobrepostos por concheados e no tecto formando falso caixolhões almofadados; alberga retábulo com painel pintado alusivo às Almas, figurando São Miguel com a balança, anjos resgatando as Almas e, no topo, uma Trindade horizontal e a Virgem; o painel, de perfil curvo, possui moldura recortada, definida por aletas, concheados e terminada em cartela ladeada por fragmentos de cornija, rematada em cornija curva. Altar tipo urna, com frontal em talha policroma a bege e azul, decorado com rocalhas formando cartelas. Na capela lateral profunda, sobre o supedâneo de cantaria, acedia por três degraus centrais, surge retábulo de talha policroma a bege, azul, marmoreados fingidos a rosa e dourado, de planta côncava e um eixo, definido por duas colunas de fuste liso ornado de espira fitomórfica, sobre duas ordens de plintos sobrepostos, os inferiores paralelepipédicos e os superiores galbados, ornados e elementos vegetalistas e fitomórficos, e com capitéis coríntios, e duas falsas pilastras, ornadas de concheados e sobrepostas por mísulas com imaginária; ao centro, abre-se tribuna de perfil curvo, com moldura sobreposta por concheados, interiormente pintada a rosa e albergando imaginária; sobre entablamento contracurvado, desenvolve-se o ático, adaptado ao perfil da cobertura, decorado com fragmentos de frontão e ampla cartela central, contendo resplendor com fénix, elementos volutados, fitomórficos e concheados, terminada em cornija com concheados e motivos vegetalistas vazados. Banco com apainelados contendo concheados integrando ao centro sacrário tipo templete, com porta terminada em cornija contracurvada encimada por concheados vazados. Altar tipo urna de frontal igualmente decorado com cartela, concheados e motivos vegetalistas. Os retábulos colaterais apresentam estrutura semelhante, de planta côncava e corpo recto e um eixo, definido por duas colunas de fuste liso, decorado no terço inferior por laçarias e festões, assentes em plintos galbados, ornados de concheados e acantos nos ângulos, e de capitéis coríntios, dispostos em frente de pilastras, igualmente decoradas de concheados e rocalhas; ao centro abre-se nicho de perfil recortado e moldura sobreposta por concheados que, superiormente criam cartela, interiormente pintado de azul e albergando imaginária sobre mísula; ático em frontão contracurvado, ornado por resplendor com fénix relevado e concheados, sobrepujado por cartela volutada vazada e concheados, igualmente vazados; banco com apainelados de concheados, integrando ao centro sacrário tipo templete, terminado em cornija contracurvada sobreposta por concheados. Altar tipo urna, de frontal decorado com concheados e rocalhas, ao centro formando cartela.
Utilização Inicial
Religiosa: Igreja Paroquial
Utilização Actual
Religiosa: Igreja Paroquial
Propriedade
Privada: Igreja Católica
Época Construção
Séc. 18
Cronologia
1320 / 1321 - no arrolamento mandado elaborar por D. Dinis para taxar as igrejas paroquiais, a de Cidadelhe era taxada em 400 libras; 1591 - data do primeiro registo de casamento documentado; 1592 - data do primeiro registo de óbitos documentado; 1603 - data do primeiro registo de baptismos documentado; 1758, 1758, 20 Abril - segundo o abade Manuel da Costa Guimarães, nas Memórias Paroquiais, a freguesia pertencia à comarca de Sobre Tâmega, bispado do Porto, no espiritual, e, no temporal, ao termo da vila de Mesão Frio e comarca de Lamego; era da jurisdição real; tinha 68 vizinhos e 258 pessoas; a igreja, com orado de São Vicente, tinha três altares com confraria: o altar maior com a confraria do Santíssimo Sacramento, o colateral do Evangelho com confraria de Nossa senhora da Conceição e o da Epístola com confraria do Santíssimo Nome de Jesus; tinha também um altar das Almas com sua Irmandade e uma capela unida à igreja, de Luís Magalhães Coutinho, com seu altar e albergando a imagem de Nossa Senhora do Rosário; o pároco era abade apresentado pelo Bispo; rendia, ano por outro, 2 mil cruzados até um conto de réis; séc. 18, finais - reforma da igreja e execução dos retábulos; 1922, 22 Abril - criação da diocese de Vila Real a que passou a pertencer a paróquia de Cidadelhe; 1937 - a igreja encontrava-se em muito mau estado de conservação, necessitando de reparações urgentes,
Características Particulares
  Igreja paroquial reformada em finais do séc. 18, de que se destaca a fachada principal pela profusão decorativa dos elementos de cantaria, lavrados com rocalhas, concheados e acantos, que sobrepõem as pilastras dos cunhais e as molduras dos vãos, dinimizando a estrutura, já por si rica, graças aos perfis recortados da empena e dos vãos. O portal com o seu frontão invertido denota influência nasoniana. Os fogaréus são também bastante elegantes e verticalizados, assentando em plintos escalonados. A torre sineira e a capela lateral datam da mesma época, visto possuírem portais semelhantes à porta travessa, com arco festonado, de moldura almofadada e recortada, formando aletas e frontão contracurvado, sobreposta por concheados recortados ou florões, sendo o da torre o mais simples, tendo o fecho liso. Conserva ainda as portas de madeira com almofadas decoradas de concheados, a axial apenas na bandeira. Na fachada posterior abre-se portal de acesso à sacristia, disposta em eixo, com arco canopial de moldura curva, formando falsas orelhas, e com tabela recortada e definida por friso volutado, terminada em cornija angular. No interior, o portal axial é ladeado por ampla pia de água benta, gomeada. O baptistério apresenta a parede testeira revestida a painel de azulejos recente, alusivo ao Baptismo de Cristo, e alberga pia baptismal facetada, talvez do séc. 17 / 18. A Capela das Almas integra no retábulo tardo-barroco uma tela mais antiga, possivelmente do séc. 17, onde figura São Miguel com a balança, dois anjos resgatando as almas e, superiormente, uma Trindade horizontal e a Virgem, junto a Jesus. Os púlpitos possuem bacia e guarda plena curva, mas de perfil recortado, a última em talha policroma tardo-barroca com rocalhas, sendo acedidos por escadas desenvolvidas no interior da caixa murária. A capela lateral profunda possui o vão de acesso sobre pilastras com falsos capitéis em acantos espraiados, muito relevados. Os retábulos colaterais de talha tardo-barroca apresentam decoração profusa em rocalhas e concheados, rematando em elegante cartela vazada e concheados. Na capela-mor, destaca-se o retábulo-mor, com alguma influência do esquema dos delineados por André Soares, em que braços laterais emergem do sotobanco, a partir do sacrário central.
Dados Técnicos
Sistema estrutural de paredes portantes.
Materiais
Estrutura rebocada e pintada; embasamento, frisos e cornijas, pilastras, molduras dos vãos, pináculos, fogaréus e cruzes das empenas, pia de água benta e baptismal, bacia do púlpito e outros elementos em cantaria de granito; pavimento em soalho de madeira e lajes de cantaria na capela lateral e na capela-mor; tectos de madeira; retábulos, sanefas e guarda do púlpito em talha policroma e dourada; confessionários embutidos e teia do coro-alto e baptistério em madeira; painel de azulejos policromos no baptistério; painel pintado numa capela lateral; portas e portadas dos óculos em madeira pintada; placa de betão no coro-alto; vãos com vidros simples e grades de ferro; cobertura de telha.
Bibliografia
FORNELLOS, Alvaro Maria de, Memória Historico-Economica do Concelho de Mesão Frio, Coimbra, 1886; DIAS, António Gonçalves, Fastos de Mesão Frio. Crónicas Escritas à guisa de Monografia, 1999; CAPELA, José Viriato, BORRALHEIRO, Rogério, MATOS, Henrique, As Freguesias do Distrito de Vila Real nas Memórias Paroquiais de 1758. Memórias, História e Património, Braga, 2006.
Intervenção Realizada
DGEMN: 1937, Fevereiro - elaboração de um orçamento no valor de 57.630$00 referentes a obras de restauro da igreja: emboços, rebocos, guarnições e caiações exteriores e interiores; substituição da cobertura com telha de canudo; reparação de cantarias em cunhais, peitoris, vergas, umbreiras e socos; substituição de soalho em pavimento, das madres, ripado e forro da cobertura, de portas interiores; substituição da porta do baptistério com balaustrada; Junho - a Comissão de Culto da freguesia, constituída pelo Padre António Augusto Machado, Cristóvão Alves Ferreira e António Gonçalves Moreira, toma a inteira responsabilidade pelo custo das obras a efectuar na igreja, no que excedesse o subsídio a conceder pelo Estado para as mesmas; 1990, década - pintura das fachadas e reparação do telhado; 1996 - reparação de muro de suporte do adro fronteiro à fachada principal.
Fonte
  S.I.P.A. por Ricardo Teixeira , Isabel Sereno e Paula Noé

 

Freguesias e Património

Mesão Frio oferece mais...