• www.mesaofrio.com.pt
  • www.mesaofrio.com.pt
  • www.mesaofrio.com.pt
  • www.mesaofrio.com.pt

História

Lazer

Vitivinicultura

Gastronomia

Artesanato

Casa do Côtto

  • Versão para impressãoEnviar por E-mail

O edifício solarengo da Casa do Côtto, tem uma das mais esbeltas pedras armoriadas de todo o concelho de Mesão Frio. Crê-se que o direito de uso de nobreza teria sido dado a um cavaleiro oriundo do Bispado de Tuy, que tinha como apelidos Araújo Cabral Montez. A Casa do Côtto pertence à família Montez Champallimaud, que descende, por varonia, de Francisco Baptista de Araújo Cabral Montez, Administrador do morgadio de Cidadelhe. avô paterno de João Baptista de Araújo Cabral Montez, que foi, entre outros títulos, cavaleiro da Casa Real por alvará de 23 de Dezembro de 1823.

Arquitectura residencial, oitocentista. Casa oitocentista de planta quadrangular, com pátio central e capela integrada na fachada lateral direita. Três alçados de dois pisos de grande simetria e regularidade de fenestração.
Descrição
Casa de planta quadrangular de dois pisos com um pátio central. Num dos extremos da ala E. está adossada a capela. Volume simples de coberturas em telhado de quatro águas. Fachada principal orientada a S., simétrica, cujo eixo é marcado por uma parte central de empena triangular, entre pilastras. Para cada lado das pilastras no piso superior quatro janelas de guilhotina de verga curva. No piso térreo apenas uma porta e janela engradada. No corpo central destacam-se no piso superior três janelas sendo uma delas de sacada sobre a porta de entrada. Na parte superior da empena junto à cornija o brasão com as armas da família Araújo (como timbre) e das famílias que entretanto se foram associando: Cabral, Montez. No remate da ala E. localiza-se a capela de empena triangular. A fachada N. voltada para um muro de suporte é caracterizada por aberturas de dimensão mais reduzida. Através do portal da fachada principal tem-se acesso a um grande átrio em lajeado e a partir deste ao pátio. O pátio em terra batida com um pequeno jardim possui um desnível de dois degraus. Existe um nicho numa das paredes onde se insere um banco em granito. A fachada exposta a O. possui apenas um piso e relaciona-se para um jardim informal ligado a um pomar.
Acessos
Desvio da EN 108, EM 602-1. VWGS84 (graus decimais) lat.: 41,170695; long.: -7,846617
Protecção
IIP, Port. n.º 443/2006, 2.ª série, DR 49 de 09 Março 2006 (casa); Incluído no Alto Douro Vinhateiro - Região Demarcada do Douro (v. PT011701040033)
Grau
2
Enquadramento
Urbano, isolado. Implanta-se entre os lugares de Coterne e Pombal, no lado N. do aglomerado de Cidadelhe, junto a um caminho. A quinta localiza-se num ponto elevado debruçado sobre o Rio Douro. A casa insere-se de uma forma centralizada relativamente à quinta de forma alongada.
Utilização Inicial
Residencial / agrícola
Utilização Actual
Residencial e turística: turismo de habitação / comercial: exportação e comercialização de Vinho do Porto
Propriedade
Privada: pessoa singular
Época Construção
Séc. 18 (conjectural)

 


Cronologia
Séc. 18 - Provável construção; 1940 - desmonte da capela; reconstrução da ala N. sobre uma construção mais antiga.
Características Particulares
Horizontalidade quebrada pelos frontões que interrompem a linha dos telhados, ao centro da fachada principal e num dos extremos da fachada lateral direita, e pelas urnas sobre plintos encimando as pilastras.
Dados Técnicos
Sistema estrutural de paredes portantes.
Materiais
Paredes de alvenaria e granito rebocadas; cobertura em estrutura de madeira revestida a telha de barro; pavimentos revestidos a lajeado de granito ou soalho de madeira; caixilharias de madeira pintada; grades em ferro pintada.
Intervenção Realizada
1996 - Obras nos telhados e capela.
Observações
O general José Joaquim de Sousa Lyra e Castro Champalimaud, oficial mais graduado da Batalha do Buçaco, condecorado pelos reis D. João VI, D. Miguel e pelo General Wellington fixou-se em Cidadelhe. Os terrenos e vinhas de Cidadelhe são considerados de alta qualidade quando da Demarcação da 1ª Zona da Região Vitícola do Douro em 1757. Este lugar pela presença de um povoado castrejo e outra documentação escrita conferem-lhe raízes muito remotas.
Fonte
S.I.P.A por Ricardo Teixeira e Isabel Sereno

 

Freguesias e Património

Mesão Frio oferece mais...